Notícias

10 de novembro – Dia Nacional de Luta e Paralisações



 A diretoria da ADUNEB convida a categoria docente, servidores técnicos e estudantes da Uneb a somarem forças às manifestações do Dia Nacional de Luta e Paralisações, que acontecerá nesta sexta-feira, 10 de novembro. Embora neste dia as atividades na Universidade do Estado da Bahia ocorram normalmente, o Movimento Docente conclama a comunidade acadêmica a integrar as ações organizadas pela Frente Povo Sem Medo e pelas Centrais Sindicais (veja abaixo a agenda de lutas). Diante dos ataques do governo Temer aos direitos trabalhistas e sociais da população, a união e participação de todos(as) é fundamental na defesa do povo assalariado e do país. 

Atos em Salvador
 
04h - Paralisação no Polo Petroquímico e nas indústrias da região de Camaçari
06h - Manifestação na entrada da Lapa, ao final do Dique do Tororó
10h - Concentração no Campo Grande para passeata com destino ao Comércio
13h - Ato em Frente ao INSS no Comércio

Reforma trabalhista

A Reforma Trabalhista entra em vigor oficialmente a partir do próximo sábado (11), trazendo uma série de mudanças, que prejudicarão profundamente os trabalhadores brasileiros. São mais de 100 alterações feitas na CLT (Consolidação das Leis do Trabalho) que acabam ou reduzem direitos, precarizam brutalmente as condições trabalho em todo o país e deixam o trabalhador à mercê da exploração e ganância das empresas.
 
Uma das principais alterações da reforma é a criação da regra que estabelece o “negociado sobre o legislado”. Em resumo, significa que acordos entre patrões e empregados poderão se sobrepor ao que está garantido na CLT e outras legislações, permitindo a redução de direitos. Com base nessa nova regra, as empresas estão ansiosas para avançar sobre os direitos trabalhistas para aumentar seus lucros.
 
Mas não é só isso. A reforma tem impactos negativos em diversos aspectos, como nos tipos de contrato de trabalho, flexibilização da jornada, redução de salários, piora nas normas de saúde e segurança, dificuldade de acesso à Justiça do trabalho, entre outros.
 
Leia aqui mais sobre a reforma trabalhista.
 
Fonte: CSP-Conlutas